sábado, 23 de janeiro de 2010

"Lula's Band"

Não é notícia nova, mas tem certa relevância e agora resolvi postar sobre isso mesmo assim. Antes tarde do que nunca...

Um grupo de músicos portoalegrenses, capitaneados pelo trompista/arranjador Alexandre Ostrovsky, foi contratado para fazer um espetáculo dentro do jantar "Apresentando o Melhor do Brasil", promovido pela APEX BRASIL (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos). O mega-evento aconteceu poucos dias antes do Natal (há pouco mais de um mês, portanto), no interior dos suntuosos salões do Hotel Copacabana Palace, no Rio de Janeiro. Os convidados eram basicamente membros da elite do alto empresariado exportador brasileiro, bem como parte da cúpula do Governo Federal, incluindo o Sr. Presidente Lula, de cujo discurso na ocasião se pode ler um resumo aqui.

Carol A., Lúcio, Jorge, Carol H., Rodrigo, Carla, eu, Guaracy, Íris, Alexandre

A tarefa da "Lula's Band" (como foi bem-humoradamente auto-apelidada) não era das mais fáceis: foi encomendado um repertório de bossa-nova, com cerca de uma hora de duração. A idéia de "tocar bossa-nova para os cariocas" parecia um pouco intimidante, no início. Outros fatores somavam-se para aumentar a tensão da situação: a responsabilidade de todos os envolvidos no evento, por sua importância política e econômica, o esquema de segurança em função da presença do Presidente, o ambiente formal, etc.


O espetáculo da banda culminou em uma performance de Aquarela do Brasil, quando um charmoso quarteto de cordas entrava em cena dialogando musicalmente com a banda. As meninas do quarteto estavam posicionadas em pódios individuais, dentro da área dos convidados. A este final apoteótico seguiu-se um vídeo promocional da Apex que a mim me pareceu uma verdadeira obra-prima de propaganda. Sem ironia!: depois de assistir àquele vídeo, era difícil conter o sentimento de ufanismo; tinha-se a impressão que o Brasil é o maior e melhor país do mundo. Bastou andar alguns poucos metros do lado de fora do Copacabana Palace para voltar à realidade, é claro. De qualquer maneira, o vídeo é o mais brilhante exemplo da Teoria do Copo Meio Cheio que eu já vi. E isso é importante, às vezes.

Lula's Band, arregimentada pelo Alexandre Ostrovsky (que tbém escreveu todos os arranjos), esteve formada pelos seguintes músicos: Lúcio e Jorge Dorfman, piano e violão respectivamente (sobrinho e filho do grande Paulo Dorfman), Rodrigo Lopes, bateria, Antônio Guaracy, contrabaixo, o próprio Alexandre, trompa, e este que aqui escreve, à flauta. Os três últimos somos integrantes da OSPA. Formaram o quarteto de cordas: Íris Andrade e Caroline Hallberg (violinos), Carol Argenta (viola) e Carla Pacheco (cello).


Uma das coisas mais bacanas desta empreitada foi ter podido conhecer pessoalmente algumas pessoas com quem nunca tinha trabalhado, e que me impressionaram pelo profissionalismo, atitude, e inteligência emocional. Tivemos vários dias de trabalho intenso, consciência constante da grande responsabilidade, e alguns momentos um pouco difíceis, mas absolutamente zero de stress interpessoal "intra-banda". Fizemos o que se esperava de nós, que não era pouco considerando o tempo disponível, e voltamos do Rio dormindo o sono dos justos, por assim dizer. Aliás, creio que a maioria precisou de uns 2 dias desse sono justo para se recuperar da maratona.

As imagens que ilustram esta postagem foram capturadas por mim (a do grupo completo usando temporizador, é claro). Não fazem jus ao glamour do evento mas refletem o clima dos bastidores antes & depois. Para visualizar melhor, clique sobre a foto.